Faculdade Rudolf Steiner

Apresentação

Muito se tem discutido sobre os efeitos da cisão humano – natureza. Catástrofes ambientais, como buraco na camada de ozônio, efeito estufa, aquecimento global, derretimento das calotas polares, enchentes, tsunamis, terremotos, extinção de espécies animais, além de crises de recursos naturais, intervenções humanas nefastas são alguns dos fatos que alertam para os transtornos que a comunidade mundial vem atravessando.

Vários encontros em âmbito nacional e internacional têm se mostrado porta-vozes dessa emergência que coloca em foco a espécie humana, considerando que a ação do ser humano sobre o ambiente incide nele mesmo, posto ser um integrante e não um mero interventor. As múltiplas formas de compreensão das relações entre humano-natureza convocam-nos a repensar a educação deste milênio e a questionar seus princípios utilitários, ao mesmo tempo em que nos convidam a valorizar as dimensões sociais, éticas, econômicas, culturais, cívicas e espirituais do ser humano.

Que caminhos se abrem às Ciências Humanas para a discussão dessa problemática? Que providências podem se tornar fecundas, considerando a urgência de um conhecimento transversal? Como a educação pode responder a esses desafios que se interpõem no campo da sustentabilidade econômica, social e ambiental? Que políticas e práticas educacionais podem sustentar esse propósito? Que tensões, contradições e oportunidades despontariam nesses tempos de preocupações pandêmicas?

Este II Congresso Internacional da Faculdade Rudolf Steiner: Meio Ambiente e Educação tem por objetivo ampliar discussões, a partir de múltiplos olhares, sobre a estreita relação entre o ser humano, o meio ambiente e a educação. Estão convidados, para esta segunda edição do evento, pesquisadores nacionais e internacionais, professores, alunos, profissionais de variados campos do conhecimento, que, seguramente, contribuirão com visões plurais sobre essa temática emergente que nos engendra como humanidade neste contexto contemporâneo.

Inscrição

Preencha o Formulário de Inscrição com seus dados pessoais.
Neste formulário, você poderá escolher participar ou não das Oficinas e como Ouvinte nos Grupos de Trabalho.

Serão disponibilizados certificados de participação no evento. 

Programação

4 de novembro, quinta-feira

14h – 14h30: Abertura: momento artístico-cultural – Andi Rubinstein

14h30 – 16h: Conferência Internacional: “Experiencing Earth” – Allan Kaplan e Sue Davidoff

17h – 18h: Oficinas
Práticas Artísticas: Formas desenhadas pela natureza e pelo ser humano
– Susanne Rotermund
Práticas Artísticas e de Pesquisa: Fenomenologia da paisagem – Leandro Evangelista
Paisagens contadoras de histórias – a importância do lugar e do território na Pedagogia Waldorf – Cristina Velasquez

5 de novembro, sexta-feira

14h – 14h30: Momento artístico-cultural – Cristiane Velasco

14h30 – 16h30: Grupos de Trabalho (GTs)

17h – 18h: Oficinas
Práticas Artísticas: Formas desenhadas pela natureza e pelo ser humano
– Susanne Rotermund
Práticas Artísticas e de Pesquisa: Fenomenologia da paisagem – Leandro Evangelista
Paisagens contadoras de histórias – a importância do lugar e do território na Pedagogia Waldorf – Cristina Velasquez

19h – 20h30: Conferência Nacional: Política entre educação e o meio ambiente – Marina Helou

6 de novembro, sábado

9h30 – 10h: Momento artístico-cultural – Andi Rubinstein e Cristiane Velasco

10h – 11h30: Mesa redonda: Meio ambiente, Educação e Políticas Públicas – Paula Mendonça (Instituto Alana), Lorena Portela Soares (Ensp/Fiocruz) e Jonas Bach Jr. (UFTM)

11h30: Lançamento Revista Jataí n.3

Oficinas

Fenomenologia da Paisagem

Com Leandro Evangelista
Número de vagas: 50

A proposta da oficina é promover uma reflexão sobre os fundamentos da fenomenologia de caráter goetheanístico, tendo a paisagem como objeto de contemplação. Considerando a paisagem como uma síntese de múltiplas determinações, sua contemplação nos convida a revisitar e desenvolver metodologias especiais, em que a unidade e a totalidade se enlaçam, assim como se enlaçam nossa condição de sujeitos observadores e a própria paisagem da qual somos parte. Para além das reflexões, pretendemos realizar exercícios práticos de contemplação da paisagem e compartilhamento percursos.

Formas desenhadas pela natureza e pelo ser humano

Com Susanne Rotermund
Número de vagas: 30

Desde tempos remotos, inspiração divina e natureza se entrelaçam na arte.
O objetivo desta oficina é observar imagens da natureza, da arte rupestre e de grafismos da região amazônica e criar com as suas formas, a partir do uso de materiais como lápis e papel, bem como areias, terras, pedrinhas, folhas, galhos, entre outros.

Paisagens contadoras de histórias – a importância do lugar e do território na Pedagogia Waldorf

Com Cristina Velasquez
Número de vagas: 50

Através dos biomas e de seus poetas adentrar na importância do lugar e do território para a Pedagogia Waldorf.

As vagas são limitadas e as inscrições serão encerradas assim que a totalidade de vagas for preenchida.

Grupos de Trabalho

Participação como ouvinte

Inscrições: até 20/10.
As inscrições serão encerradas quando o número máximo de participantes for atingido.

Submissão de trabalhos

O Formulário para Submissão de trabalhos deve ser preenchido pelos interessados em apresentar nos Grupos de Trabalho.

Cronograma

Inscrição para submissão de trabalhos: até 15/10.
Avaliação de trabalhos e envio das cartas de aceite: de 11 de outubro até 20 de outubro de 2021.
Divulgação das apresentações: 28 de outubro de 2021.
As vagas são limitadas e as inscrições serão encerradas assim que a totalidade de vagas for preenchida.

Os trabalhos serão apresentados pela plataforma zoom no dia 5 de novembro em sessões simultâneas, das 14h30 às 16h30.  Desse modo, não será possível submeter mais de um trabalho. Cada participante terá 20 minutos para compartilhar sua pesquisa.

Os Grupos de trabalho (GTs), nesta segunda edição do Congresso da FRS, têm por objetivo o compartilhamento e a discussão de experiências investigativas nas diversas áreas do conhecimento e entre pesquisadores, discentes, docentes, tanto da comunidade interna quanto externa, permitindo trocas relevantes para o aprimoramento da pesquisa e do ensino de graduação e pós-graduação.

As propostas dos grupos de trabalho emergiram, em sua maior parte, dos coordenadores das linhas de pesquisa desenvolvidas na instituição em parceria com a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), em sintonia com o grupo de pesquisa coordenado por Jonas Bach, A proposta pedagógica de Rudolf Steiner: contribuições para a educação contemporânea, bem como dos investigadores envolvidos com a iniciação científica na FRS.

Pesquisadores poderão submeter seus trabalhos para apresentação em apenas um Grupo de Trabalho, pois eles acontecerão simultaneamente.

Temas GTs

GT 1 – As obras de Steiner: cronologia e diálogos

Coordenação: Maria Florencia Guglielmo e Marcelo Rito

Este GT pretende discutir a produção filosófica de Rudolf Steiner, com leituras organizadas a partir da sequência cronológica de suas produções; colocar em relação as referências teóricas com as quais Steiner dialoga de modo a compreender o autor em seu contexto de produção; interpretar os diferentes conceitos estabelecidos por Steiner na corrente filosófica de seu tempo; reconhecer a importância da cosmovisão goethiana na formulação de uma teoria do conhecimento; investigar diferentes possibilidades de reflexão acerca da educação a partir das proposições sobre a metodologia cognitiva tributária do pensamento de Rudolf Steiner.

Trabalhos selecionados:

O pensar a serviço da compreensão do mundo – Adriana Honorato Gonçalves

Reflexões sobre educação, liberdade e humanidade: a prática dos trabalhos manuais em diferentes contextos escolares – Daniela Alexandre do Nascimento

Era uma vez: o que contam adultos sobre seus professores de classe – Juliana Litvin de Almeida

Filosofia antroposófica goethianística como base da ciência espiritual de steiner – Yuri Rodrigues da Cunha

A obra científica de Goethe / Rudolf Steiner – Giovanna Vincitore Fornazari e Filipe Menezes Bezerra

A minha vivência na leitura da obra cientifica de Goethe em grupo de estudo – Alessandra scalamandré

Goethe, Steiner e a Pedagogia Waldorf – Maria Florencia Guglielmo

GT 2 – Pesquisa e(m) ação: impulsos sociais e educacionais

Coordenação: Maria Auxiliadora Fontana Baseio e Melanie Gesa Mangels Guerra

Este GT tem por objetivo acolher pesquisas que vinculem educação e meio social, podendo ou não apresentar práticas de intervenção em ambientes diversos. É intuito criar debates que apontem para os possíveis elos entre a ação social e a educação de modo geral, ampliando conhecimentos sobre o impacto que ações sociais exercem na vida das pessoas envolvidas. Aceitam-se trabalhos fundamentados pelos estudos de Rudolf Steiner ou que com eles estabeleçam diálogos. Serão acolhidas investigações que discutem currículos sociais realizados ou não em escolas Waldorf, bem como propostas de pesquisa que explorem problemáticas de memória e identidades.

Trabalhos selecionados:

O propósito social da Pedagogia Waldorf: reflexões, relatos de experiências e possibilidades de atuação – Andréa Siewerdt; Daniela Alexandre do Nascimento; Giovanna Vincitore Fornazari; Josielma dos Santos Oliveira; Leda Maria Cimino Meirelles e Penélope Lopes Tonelli

A Poesia Marginal nas letras de músicas de Rap como processo de conscientização e libertação – Álbum Amarelo, de Emicida: uma leitura à luz da análise do discurso – Arlete Pires dos Santos

O ensino da língua materna na Escola Waldorf: aproximações e distanciamentos com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – Halide de Quadros Ohde

Educação de jovens e adultos e a Base Nacional Comum Curricular: reflexões sobre invisibilidade – Sofia Santoro Santos

Roda, Verso e Época: o impacto de princípios da Pedagogia Waldorf no programa social da Associação Comunitária Monte Azul – Josielma dos Santos Oliveira

Mainumby memórias – Patricia Carla Matheus Evangelisti Silva e Susanne Rotermund

Trajetos da implantação da Pedagogia Waldorf no Hai África (Nairoibi- Quênia) – Maíra Kahl Ferraz

Análise das contribuições do programa “Nós da Primeira Infância” para professores de Educação Infantil da rede pública municipal – Marli Batista Teixeira

GT3 – Corpo, movimento e ambiente: poesia que educa

Coordenação: Juliana Klein, Luiza Banov, Renata Fernandes

Este GT visa explorar as relações possíveis e prováveis do corpo em movimento, suas artes, natureza e ambiente. Desta maneira, receberemos pesquisas que investigam de que modo esses elementos se encadeiam e se inserem em contextos pedagógicos, ou ainda de que forma esses entrelaces revelam a sua potência pedagógica. Integram, também, este GT pesquisas que exploram a potência poética de tais experiências, bem como aquelas que investigam as relações específicas geradas em diferentes ambientes: os naturais, os urbanos e os criados artisticamente para serem fruídos com o corpo e a partir do movimento, como é o caso das instalações.

Trabalhos selecionados:

Da Educação do Gesto à Poética do encontro: um olhar sobre o exercício da arte de Euritmia como disciplina escolar – Rita de Cássia Aleixo Prado

Roda rítmica: a educação pelos gestos na Educação Infantil Waldorf – Isabell Mendonça

Qual o orixá que te habita? O relato de uma experiência educativa que entrelaça história, dança e uma prática diária de agrofloresta – Gisele Becker, Glauce Pereira Cintra e Christian Duarte

Pé de dança: relato de experiência da criação de um grupo de estudo em movimento – Juliana Klein, Luiza Banov e Renata Fernandes

O ouvinte criativo: reflexões em busca de uma pedagogia da escuta para a pós-modernidade – Daniela Amaral Rodrigues Nicoletti

Teatro na escola: um território de inclusão e transformação – Audrey Cristina Barbosa e Profa. Dra. Kathya Maria Ayres de Godoy

GT 4 – A arte de educar no Brasil: compartilhamento de práticas e reflexões a partir da observação local.

Coordenação: Glauce Kalisch , Luciana Sapia, Gabriela Francischinelli

Este GT tem o objetivo de abrir espaço para pesquisas e compartilhamentos de práticas pedagógicas como fruto de “transbordamento docente” a partir da observação fenomenológica de seu meio natural e/ou cultural, localizados no transcorrer do ciclo anual. São bem-vindos trabalhos que abarquem os diferentes ciclos escolares: educação infantil, fundamental e médio. Visamos explorar a potência artística dos educadores neste mosaico de práticas que nos contam de nós mesmos: nossa natureza, biomas, diversidade cultural memórias, identidades e pertencimento.

Trabalhos selecionados:

Experiências educativas nas culturas tradicionais – Luisa Kassawara de Castilho

Ensino religioso Waldorf e pluralismo: considerações curriculares para a alma brasileira – Rafael Vitello Ravi

O caminho interior do professor fortalecido pelo arquétipo da alma feminina – Renata Pantaleo Labbate Vasquez

GT 5 – Educação na Primeira Infância: na ciranda das linguagens – olhares para a criança em seu meio

Coordenação: Rosemeire Laviano

Este GT visa discutir as relações entre a linguagem e o desenvolvimento da criança na primeira infância. Aceitam-se trabalhos que tratam de diferentes abordagens pedagógicas e científicas, com convergências e divergências com a proposta de Rudolf Steiner para a Pedagogia Waldorf; pesquisas que exploram a relação da linguagem com o ambiente natural e social; investigações que propõem a linguagem como herança do ambiente cultural vinculada às narrativas e brincadeiras de tradição oral; estudos que articulam o desenvolvimento da linguagem e as descobertas da neurociência na relação entre movimento corpóreo e ambiente externo; trabalhos que associam a linguagem com as genuínas manifestações do brincar livre infantil.

Trabalhos selecionados:

Sala 1

Os contos de fada e o sagrado: uma abordagem para Educação Infantil – Anna Carolina de Moraes Ducheski Olimpio

A relação como forma de aprendizado na primeira infância – Carla Xavier Vanderline

O desenvolvimento da linguagem no 1º setênio, em contexto de pandemia, e a autoeducação do professor como fator qualitativo das interações a distância – Andréia Lima; Daniela Abud; Dayse Cruz e  Kátia Silva

O desenvolvimento da linguagem na primeiríssima infância – Alessandra Mendes Freitas; Anyeelli Bernardes; Letícia Alves e Patrícia Couto Gimael

Sala 2

Contos de fada de todos os cantos do mundo como alimento anímico infantil – Anna Carolina de Moraes Ducheski Olimpio; Bruna Campos de Faria; Camila Fernandes Rocha; Irene Izilda da Silva

Escola da Família – uma política pública necessária – Juliana Barbosa Ramalho

A observação fenomenológica como prática pedagógica: compartilhando experiências de olhar para as crianças e seu brincar com as pedras – Lia Mattos; Liandra Ribeiro; Nina Bernal Balconi e Sandra Eckschmidt

Abrir as janelas do conhecimento: a “história do primeiro dia” na Pedagogia Waldorf – Renan Bastos de Olivas Ferreira Santos

Habilidades motoras e aquisição de linguagem: correlações entre neurociências e antroposofia – Geraldo Alves Lacerda

GT 6 – Iniciação Científica: múltiplas experiências e desafios da pesquisa

Coordenação: Allan Gonçalves Da Silva, Daniela Mayle Meirelles, Maria Clarissa Spindola Mendes e Paula Franciulli

Este GT discute experiências com o processo de pesquisa, abordando escolha de temas, construção de projetos, levantamento bibliográfico, elaboração de entrevistas, procedimentos técnicos e éticos da pesquisa e outros temas afins com a atividade da investigação científica.

Trabalhos selecionados:

Egressos de escolas Waldorf no Brasil: experiências e desafios – Bianca Jamel El Bacha

Pesquisa em levantamento bibliográfico – obras acadêmicas nacionais em diálogo com Rudolf Steiner – Clara Ribeiro Jardim

O estudo prático da arte contemporânea como ferramenta de desenvolvimento criativo de futuros professores – Marina Gonçalves Morais

Método Survey: o tratamento quanti-qualitativo do material de pesquisa – Sabrina Emanuelle Mesquita da Silva; Isabella Tavares Sozza Moraes

Elementos coreográficos de eurritmia e suas relações com a dança moderna – Sabrina Queiroz

Iniciação científica: um caminho possível – Penélope Lopes Tonelli

GT 7 – A escola e o desafio ambiental do Século XXI

Coordenação: Renier Marcos Rotermund

Este GT busca discutir como as escolas, em particular as fundamentadas na pedagogia de Rudolf Steiner, lidam com a crise ambiental que se agrava em velocidade vertiginosa. Qual a visão das escolas hoje sobre a questão ambiental? Como professores e pais lidam com a nova geração que vem ao mundo em ruptura com a natureza? É desejável que os trabalhos tragam uma visão contemporânea daquilo que foi indicado por Steiner em sua obra. São bem-vindas pesquisas que mostrem experiências inspiradoras em relação ao tema.

Trabalhos selecionados:

“Do Grão ao Pão” – Cultivo da terra como ferramenta pedagógica no 3o ano da escola Waldorf –  Ana Paula Galdino

Cultivando vínculos: a aprendizagem na natureza nos anos iniciais do ensino fundamental – Michele Sebastião de Melos

Uma pesquisa sobre a atividade de jardinagem nas escolas Waldorf no Brasil – Renier Marcos Rotermund; Michele Sebastião de Melos; Ana Paula Passaes Galdino; João Fernando de Almeida Benedetti; Fernando Silveira Franco

Cultura, Natureza, Antropoceno e Parsifal – Saulo Quintana Gomes

Normas de formatação do resumo

Título: o título do resumo deverá ser em letra maiúscula, em negrito, centralizado, fonte Arial 12.
Autores: Nomes e sobrenomes dos autores: deverão ser escritos nesta ordem abaixo do título alinhados à direita.
Grupo de Trabalho: nome do GT ao qual submeterá o trabalho.
Resumo: O corpo do resumo em parágrafo único deverá ter de 250 a 300 palavras com margens justificadas, espaçamento 1,0 entrelinhas. Devem contar com introdução ao tema e problema; objetivo; metodologia; resultados (parciais ou finais). O arquivo deve ser enviado em Word.
Palavras-chave: inserir abaixo do resumo 3 a 5 palavras-chave, separadas por ponto.

Conferencistas, palestrantes e docentes

Comissão organizadora

Comissão Científica

Allan Gonçalves Da Silva
Daniela Mayle Meirelles
Gabriela Francischinelli
Glauce Kalisch
João Moreno Sant’Ana
Jonas Bach Junior
Juliana Klein
Lourdes Ana Pereira Silva
Luciana Sapia
Luiza Romani Ferreir Banov
Maria Clarissa Spindola Mendes
Maria Florencia Guglielmo
Mariana Bugano
Paula Franciulli
Renata Fernandes
Renier Marcos Rotermund
Rosemeire Laviano

Equipe Artística

Alice Guiote Bueno
Maria Clarissa Spindola Mendes

Comunicação

Madara Buschinelli

Equipe Técnica

Andressa Gonçalves Farias
Geislon Lucas Dervage
Helena Wahl
Samara Lopes de Brito
Tawany Feitosa Silva
Vanessa Valéria Barbosa Mendes